Como saber se a joia é de ouro: confira 5 dicas

Por acaso você já comprou uma joia que acreditava ser de ouro, mas depois descobriu que não era? Ou, ainda, ganhou uma peça de presente e quis descobrir se era uma bijuteria ou semijoia? Bem, essa curiosidade é mais comum do que você pensa. Mas como saber se a joia é de ouro?

O primeiro passo é compreender que somente um profissional especializado pode dar um diagnóstico certeiro. É possível, contudo, botar em prática alguns truques caseiros para identificar se o ouro é verdadeiro.

Quer descobrir se o seu material é mesmo ouro? Então, continue acompanhando este artigo para aprendermos juntos.

Quais os tipos de ouro?

Como já dissemos, os testes que disponibilizamos neste artigo são caseiros. Assim sendo, existe a chance de a sua peça sair danificada no processo. O melhor caminho será sempre buscar ajuda especializada, mas ter delicadeza ao longo desses truques deve preservar a integridade das joias.

Para saber se é ouro ou não, precisamos primeiro conhecer os tipos de ouro. Ele é classificado em quilates, indo do ouro “puro” até ligas metálicas que misturam materiais diversos. Medimos o teor do ouro usando 24 partes, que podem ser compostas por ouro e outros metais. Veja abaixo:

  • 24k: é considerado o ouro 100% puro. Por ser extremamente maleável, não pode ser usado em joias, então é necessário que ele seja misturado a outros metais. Afinal, se as joias fossem produzidas com este teor de ouro, elas seriam amassadas ao menor toque, impossibilitando o uso. Não tende a ser encontrado em joalherias por esse motivo;
  • 18k: é o teor mais encontrado nas joalherias. O ouro 18 quilates tem 18 partes de ouro e 6 de outros materiais, como a prata e o cobre. A mistura é realizada justamente para dar a liga metálica e transformar o material em joias “utilizáveis”;
  • 14k: o ouro 14 quilates tem menos ouro em comparação ao 24k e ao 18k. São 14 partes de ouro para 10 de outros materiais;
  • 10k: É um dos menores teores de ouro utilizado no ramo joalheiro. Está acima somente do ouro 9k, que é pouco utilizado. É normalmente encontrado na Europa.

1) Examine a peça

A primeira atitude a ser tomada é observar a joia de perto. Caso encontre sinais, como o timbre do fabricante, já é possível diminuir as desconfianças em relação à procedência da peça. Uma dica é buscar pela marcação dos quilates dentro de anéis, por exemplo. Se ele for de ouro, a classificação – 14k, 18k – estará indicada ali. Além disso, veja se a peça oxida facilmente, pois isso é um indício de que não é ouro.

2) Certificado de garantia

Outra forma segura de conferir a veracidade da joia de ouro é resgatar o certificado da peça. Assim como acontece na prata, a joalheria providencia um atestado de que a peça é realmente composta por ouro.

3) Teste do ímã

Materiais como o ferro, o aço, o níquel e o cobalto, que não são nobres, têm alta propriedade magnética. Uma vez que o ouro não é magnético, é possível usar o teste do ímã para consultar a veracidade da peça. Aproxime um ímã da sua peça e observe se existe atração. Caso a resposta seja afirmativa, pode indicar que a joia não é feita de ouro, combinado?

4) Teste da cerâmica

É possível que a sua joia saia danificada nesse teste, por isso faça delicadamente. Basta pegar uma louça branca e esfregar a joia de modo suave sobre a cerâmica. Caso o risco deixado na superfície seja preto, isso indica que provavelmente a peça não é ouro. Se for dourado, por outro lado, o ouro é verdadeiro.

5) Teste do vinagre

Por último, mas não menos importante, temos o teste do vinagre. Limpe bem a peça com uma flanela e, depois disso, aplique algumas gotas de vinagre sobre ela. Se houver reação e a joia mudar de cor, é provável que não seja de ouro. Caso não tenha mudança na tonalidade, pode confiar: é ouro de verdade!

Lembre-se de que o caminho mais confiável é sempre consultar um joalheiro experiente. Portanto, tome cuidado na hora de aplicar esses truques para não danificar a peça. Quer saber mais sobre a venda de ouro? Então, clique aqui para falar com um de nossos atendentes!